CONCEITO DO DESENHO UNIVERSAL

O Desenho Universal não surgiu da cabeça de um único homem, mas consta que o termo Universal Desenho foi usado primeiramente em 1985, pelo arquiteto americano Ronald Mace. Foi a partir de então que se começou a questionar por que não se desenvolviam produtos e serviços que atendessem a todas as pessoas, independentemente de sua estatura, condição de mobilidade ou faixa etária. A ideia seria criar um novo padrão que pudesse atender às necessidades de todos. Assim surgiu o que hoje conhecemos como Desenho Universal.
São pressupostos do conceito de desenho universal:

1- Equiparação nas possibilidades de uso – o desenho é útil e comercializável às pessoas com habilidades diferenciadas;

2- Flexibilidade no uso – o desenho atende a uma ampla gama de indivíduos, preferências e habilidades;

3- Uso Simples e intuitivo – o uso do desenho é de fácil compreensão, independentemente de experiência, nível de formação, conhecimento do idioma ou da capacidade de concentração do usuário;

4- Captação da informação – o desenho comunica eficazmente ao usuário as informações necessárias, independentemente de sua capacidade sensorial ou de condições ambientais;

5- Tolerância ao erro – o desenho minimiza o risco e as consequências adversas de ações involuntárias ou imprevistas;

6- Mínimo esforço físico – o desenho pode ser utilizado com um mínimo de esforço, de forma eficiente e confortável;

7- Dimensão e espaço para uso e interação – o desenho oferece espaços e dimensões apropriados para interação, alcance, manipulação e uso, independentemente de tamanho, postura ou mobilidade do usuário.

Portanto, no Brasil cada vez mais, buscam-se soluções que contemplem as necessidades de todos, pois mesmo não sendo pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, querem compartilhar espaços e momentos em comum com elas.

Fonte de pesquisa: http://www.acessibilidadebrasil.org.br/